Empreendedorismo feminino: vale a pena investir na estética?

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

As mulheres buscam cada vez mais o protagonismo de suas vidas e acabam fazendo a diferença em todo o meio em que vivem. De acordo com Global Entrepreneurship Monitor 2020 – principal pesquisa sobre empreendedorismo do mundo – realizada com o Sebrae, o universo do empreendedorismo feminino já soma mais de 30 milhões de mulheres que possuem o seu próprio negócio.

Além da realização de conquistar seu espaço no mercado empreendedor, esses números representam um grande movimento de empoderamento, que realça a visibilidade sobre as questões de gênero no mundo dos negócios.

Mas além desses pontos importantíssimos, o que mais move a mulher a querer abrir seu próprio negócio? Quais são os desafios que elas enfrentam? Neste artigo, vamos abordar algumas questões-chave que podem servir de estímulo para você que pensa em apostar no seu negócio!

Mulheres no mercado de estética

Mulheres impactam os números relacionados ao empreendedorismo e são maioria no mercado estético. Seja como funcionárias ou donas do próprio negócio, a atuação feminina tem forte presença no setor e isso acontece, porque geralmente se identificam mais com as atividades e a rotina de trabalho.

Começar um negócio (independentemente de ser no setor de estética), passar por todas as etapas desde o planejamento até o desenvolvimento e depois disso se manter no mercado de forma competitiva, é um desafio gigante.

Nesta jornada de desafios, Daniela Moleiro, proprietária da clínica Spa Soul em São Paulo, fala um pouco sobre os obstáculos e as recompensas do seu início de carreira e dos dias atuais:

“Eu nasci em uma família de comerciantes e fui a primeira de casa que foi para a área da estética, então foi um desafio, aprender tudo na raça. Criar uma gestão financeira saudável onde todos os colaboradores ganham e são reconhecidos, sempre foi o meu ideal. A busca por transformar um salão de beleza em uma clínica com o conceito de ser o primeiro Spa Tecnológico do Brasil, que oferece as principais inovações estéticas, foi a realização de um sonho e eu luto por ele todos os dias”.

Empreendedorismo feminino: vale a pena investir no mercado estético?

Por causa dessa determinação em empreender e pela paixão por inovações da esteticista, professora e empresária Daniela Moleiro e de muitas outras mulheres, o setor está sempre em expansão.

Um levantamento realizado pela ABIHPEC e o Instituto FSB Pesquisa, revelou que mesmo na pandemia, o Brasil continua em 3º lugar no ranking de maior mercado do mundo no setor de estética, perdendo apenas para os Estados Unidos e China.

Como um dos meios que mais impulsionam estes dados, o ambiente online colaborou muito para o crescimento deste setor, isso porque, a maioria dos influenciadores possuem uma rotina de avaliação de marcas, produtos e serviços, em consequência pulverizam novidades para o público.

Desse modo, vale a pena o investimento. Mesmo que o negócio inicie de maneira simples, o mercado da saúde e da estética se mantém aquecido e não sofre oscilações, mesmo em tempos de crise.

Conciliando vida pessoal e profissional

Um dos principais desafios para a mulher moderna é conciliar a vida pessoal e profissional. Muitas optam por montar seu próprio negócio justamente para ter maior flexibilidade de horário. Mesmo assim, não é nada fácil.

Ser mãe, esposa, filha, irmã, empresária e mais outras dezenas de títulos que uma mulher carrega, pode gerar uma sobrecarga excessiva, física e mental. Uma pesquisa divulgada pela Catho aponta que 30% das mulheres deixam o mercado de trabalho para cuidar dos filhos. Entre os homens, essa proporção é quatro vezes menor, apenas 7%.

O melhor caminho é apostar em seu próprio negócio? Pode ser que sim. Segundo o SEBRAE, as brasileiras empreendem, principalmente, devido à necessidade de ter outra fonte de renda ou para adquirir a independência financeira. 45% delas são chefes de família, ou seja, são as principais fontes de renda de seus lares.

Sobre a gestão da vida pessoal e profissional, “é uma constante jornada, conciliar família, filhos, trabalho, estudo e viagens, porém é combustível da motivação. Sou muito grata pela minha escolha de carreira na estética e eu escolheria isso mil vezes. Eu vivo da estética e sou muito feliz”, finaliza Daniela Moleiro.

Gostou desse conteúdo? A Adoxy apoia o empreendedorismo feminino e sempre aborda assuntos como este! Continue acompanhando nosso blog e fique por dentro!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba todas as novidades
da Adoxy no seu e-mail