Rotinas da clínica: pode tomar sol após a depilação a laser e a LED?

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

A temporada de praia, piscina e passeios ao ar livre começou! Principalmente neste momento, as pessoas querem ter a pele livre de pelos indesejados. Por isso as oportunidades de as clínicas dobrarem seu faturamento com a depilação definitiva crescem. Mas um ponto que acaba sendo uma preocupação nesta época quente é tomar sol após a depilação a laser e a LED. Isso é possível? Como mostrar isso ao seu paciente? 

É possível com algumas ressalvas. E com as orientações adequadas, os pacientes podem realizar a depilação a LED o ano todo, mesmo em períodos de sol e calor. Neste artigo vamos apresentar os principais pontos a serem repassados durante o atendimento. 

Ressaltar a Importância do protetor solar  

A pele bronzeada fica sensível e muito desidratada, por isso existem algumas orientações que precisam ser repassadas para os pacientes, principalmente os que estão realizando sessões de depilação a laser ou LED. 

Primeiramente é necessário ressaltar que sempre que houver a exposição ao sol, é importante que a reaplicação do filtro solar seja feita a cada 1 hora. É de extrema relevância fazer essa indicação para todos os seus pacientes. 

Na depilação a LED, é possível que o paciente esteja com a pele bronzeada sim, porém, sempre reforce a necessidade dele utilizar o protetor solar e respeitar o intervalo de 7 dias antes de exposição direta ao sol na área em que foi realizada a depilação, e 7 dias depois da sessão.  

Da mesma forma, é imprescindível reforçar a importância de manter a pele hidratada, com cremes e a ingestão de muito líquido.  

Tomar sol após a depilação a laser e a LED: reavaliação do paciente 

A avaliação do paciente é um ponto indispensável antes de iniciar o tratamento, isso porque é importante conhecer a rotina da pessoa além de esclarecer alguns inconvenientes e possíveis contraindicações. 

No processo da avaliação, o especialista deve explicar todo o tratamento, o ciclo dos pelos, produtos que podem ou não ser utilizados e a forma correta da retirada dos pelos nos intervalos das sessões. 

Da mesma forma, a reavaliação do paciente a cada sessão, também é de suma importância, pois é nesse momento que poderemos observar se o tratamento está tendo resultado, se a parametrização do LED deve ser modificada (caso ele tenha tomado sol, o fototipo pode ter sido alterado). 

Além de reavaliá-lo a cada sessão, é fundamental também realizar avaliações diferentes por áreas. Isso porque o mesmo paciente pode ter fototipos diferentes, caso a região-alvo seja mais escura que as demais, como é o caso da virilha e axilas. 

Conteúdos que podem te interessar:
Depilação a Laser ou a LED — Qual é a Melhor Para Sua Clínica de Estética?
Depilação definitiva para todos os tons de pele: qual a ideal para sua clínica?
O que é depilação a LED: tudo o que você precisa saber 

Depilação definitiva segura o ano todo 

Diferente da maioria dos tratamentos do mercado (como alguns lasers), a tecnologia de depilação a LED é segura em qualquer fototipo, incluindo peles bronzeadas. Isso porque o LED resfria até 3 vezes mais que o laser mais potente. Isso garante uma sessão mais confortável, sem perder a sua eficácia. 

O Holonyak é o único equipamento para realizar a depilação a LED. Ele foi criado justamente para atender a pele brasileira. Com uma predominância do sol, temos grande incidência de pele bronzeada – além da pele negra – e a depilação a LED pode ser feita em qualquer época do ano, incluindo o verão e as estações mais quentes. 

Cuidados com a depilação a LED 

Existem algumas orientações que devem ser dadas aos pacientes que realizam o tratamento de depilação definitiva com a tecnologia LED. 

Em casos de depilação a laser, é necessário ter um intervalo de cerca de 15 dias (antes e depois) para poder realizar o procedimento. Já na depilação a LED, como citamos acima, a exposição direta ao sol da área em que for realizada a sessão deve respeitar um intervalo de 7 dias (antes de depois). 

 Além disso, é necessário dar algumas orientações para os pacientes de depilação definitiva a LED: 

  • Não utilizar cera, pinça ou qualquer método que retire o pelo pela raiz com 30 dias antes da sessão; 
  • Em caso de exposição ao sol, mostre que é fundamental informar o responsável pela sessão de depilação para que os parâmetros sejam ajustados depois de uma reavaliação da pele;
  • Informe que não devem ser utilizados ácidos na região tratada no período de 10 dias antes da sessão e 10 dias depois da sessão; 
  •    Não aplicar autobronzeadores no período de 7 dias antecedente à sessão e não utilizar descolorantes na região tratada.

Agora você já sabe que pode liberar o seu paciente para tomar sol após a depilação a laser e a LED, desde que siga alguns cuidados. Quer saber mais? Continue acompanhando os nossos conteúdos! 

  

  

  

  

  

 

 

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba todas as novidades
da Adoxy no seu e-mail