É possível fazer depilação definitiva tendo vitiligo?

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

Segundo a Fundação de Pesquisa em Vitiligo (Vitiligo Research Foundation), a prevalência média da doença está entre 0,5% e 2% da população mundial. O número total de pessoas que sofrem de vitiligo é estimado em cerca de 65 a 95 milhões em todo o mundo.

Então é natural que muitas pessoas tenham essa dúvida. É possível que uma pessoa com vitiligo faça depilação a laser ou a LED? Neste espaço, vamos esclarecer algumas dúvidas sobre este tema.

O que é vitiligo?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o vitiligo é uma doença caracterizada pela perda da coloração da pele. As lesões formam-se devido à diminuição ou à ausência de melanócitos (células responsáveis pela formação da melanina, pigmento que dá cor à pele) nos locais afetados.

As causas da doença ainda não estão claramente estabelecidas, mas fenômenos autoimunes parecem estar associados ao vitiligo. Além disso, alterações ou traumas emocionais podem estar entre os fatores que desencadeiam ou agravam a doença”.

Vale ressaltar que em situações de grande estresse emocional constitui um sério fator desencadeante e agravante do vitiligo. Isso aconteceu claramente nos últimos meses por conta da pandemia de Coronavírus.

Pessoas com vitiligo podem fazer depilação definitiva?

Por se tratar de uma doença autoimune, é contraindicada para o tratamento de depilação definitiva a laser ou LED. Também não é indicado para outros tratamentos que façam com que a pele tenha alguma lesão, como microagulhamento.

Sobre a depilação, o calor que o feixe de luz do laser produz, possui sua frequência ajustada conforme cada tipo de pele, sendo aplicado em regiões onde existem pelos. Nas áreas do corpo com a presença do vitiligo, a depilação se torna irrealizável, isso porque há ausência de melanina. Sendo assim, o fio não absorve o calor e a parte que produz o pelo não será destruída.

Desta forma, a depilação a laser ou LED é ineficaz no portador de vitiligo. Em casos de partes do corpo que não são acometidas pela doença, também não há indicação para uso desse tipo de depilação, já que é possível que desencadeie o Fenômeno de Koebner (o aparecimento de lesões após trauma de natureza física, química ou biológica).

A depilação causa microlesões na pele e elas podem desenvolver o vitiligo em partes do corpo onde ainda não havia a presença da doença. Consequentemente, fazer a depilação a laser ou LED pode acelerar a progressão do vitiligo. Isso também vale para a fotodepilação ou luz pulsada.

Além disso, em outros pontos da estética, é importante observar se o paciente está fazendo algum tratamento com corticoide, caso esteja, é bom não realizar procedimentos de criolipólise, por exemplo, porque o paciente não vai apresentar o resultado planejado.

Que tipo de depilação é recomendada então?

É muito importante que antes de realizar qualquer tipo de depilação, o paciente com vitiligo faça uma consulta e uma avaliação com o dermatologista responsável pelo tratamento.

Cada caso é singular, com suas próprias características, portanto é necessário ter o aval do médico dermatologista para evitar qualquer tipo de problema. Pessoas com vitiligo não são impedidas de fazer alguns tipos de depilação, como a cera morna, por exemplo, mas cada caso deve ser investigado de maneira única.

Agora que você sabe um pouco mais sobre o vitiligo e os efeitos da depilação definitiva, converse com um especialista e descubra o que é mais indicado para você.

Quer conhecer mais sobre a Adoxy e suas tecnologias? Acesse o nosso blog.

 

 

 

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba todas as novidades
da Adoxy no seu e-mail