Principais perguntas e respostas sobre pele glicada

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

Um levantamento realizado pela Avon juntamente com o instituto IBOPE Conecta, revelou que 6 em cada 10 mulheres estão insatisfeitas com a pele do rosto. As afecções do rosto têm realmente incomodado muitos homens e mulheres e um dos motivos é pele glicada.

O que é glicação? Como saber se tenho a pele glicada? Neste artigo, vamos abordar esse tema e mostrar tudo aquilo que você precisa saber sobre uma pele que sofre com os efeitos da glicação.

O que é glicação?

Todo mundo sabe que o açúcar é o grande vilão do século e que provoca muitos males ao organismo de quem o consome em excesso. Além disso, ele é totalmente prejudicial à saúde da pele.

A glicação é uma reação da ligação de carboidratos (como a glicose ou lipídeos), com as proteínas. Essa união modifica as proteínas impedindo que as células desempenhem o seu papel. Em outras palavras, esse processo provoca danos nas fibras elásticas e no colágeno, resultando no aparecimento de rugas e flacidez.

Logo, o consumo de açúcar (glicose) acelera o envelhecimento da pele, e apresenta muitos danos, principalmente ao rosto.

Alvo de muitos estudos científicos, a glicação já que o agente causador, a glicose e similares, podem ser amplamente encontrados nos alimentos, seja através dos carboidratos ou em dietas muito açucaradas.

Como saber se tenho glicação na pele?

Não é difícil identificar os efeitos da glicação na pele, já que eles são visíveis. A pele glicada apresenta sinais de envelhecimento como rugas, linhas de expressão, flacidez e até mesmo manchas.

A pele perde a luminosidade e muitas vezes fica até ressecada, já que a desidratação também é um problema relacionado à glicação, uma vez que as moléculas de água não são absorvidas pelo colágeno.

Como prevenir a glicação?

A prevenção começa cedo para que tenha resultados. De acordo com dermatologistas, a idade ideal para começar a cuidar da pele é em torno dos 25 anos. Isso quer dizer que para prevenir os danos do rosto, o ideal é ter uma rotina de cuidados diários com antioxidantes que podem ser utilizados pela manhã juntamente com protetor solar – que protege contra o sol e a poluição também

Além disso, não deixe de cuidar da sua alimentação. Se o açúcar é um grande vilão, logo é importante moderar o consumo de doces ou carboidratos como massas.

Como tratar a pele glicada?

O uso de dermocosméticos adequados aliados a uma alimentação com índice glicêmico baixo, é um tratamento que apresenta resultados satisfatórios, porém não em curto prazo.

Mas como a estética é evoluída, ela dá uma força e alavanca os resultados utilizando tecnologias não invasivas, ou seja, sem a necessidade de fazer uso de agulhas ou anestesia.

A radiofrequência é o tratamento estético mais recomendado por especialistas quando o assunto é tratar de rejuvenescimento. A radiofrequência utiliza uma fonte de calor que estimula a pele a produzir novas fibras de colágeno, melhorando a qualidade e a elasticidade da pele.

Logo na primeira sessão de radiofrequência, o paciente consegue ver resultados, como uma pele mais iluminada e jovem. Este tratamento estimula a produção de colágeno e elastina, o que resulta na melhora de afecções específicas, como pé de galinha, rugas e linhas de expressão.

Agora que você já entende os principais pontos sobre a pele glicada, busque prevenir esses danos, caso você já apresente os sinais de envelhecimento precoce decorrentes do consumo de açúcar, procure ajuda de profissionais e realize os tratamentos indicados!

Continue acompanhando os conteúdos da Adoxy e tenha as melhores dicas para cuidar da pele e do corpo!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba todas as novidades
da Adoxy no seu e-mail