Descubra tudo sobre tratamento para cicatrizes!

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

O resultado de uma cirurgia, uma cesariana, um machucado, uma queimadura… Há vários motivos para ocorrer a cicatrização, um processo natural do corpo, permanente, que pode lhe afetar psicologicamente.  Por isso, neste post, vamos focar no tratamento para cicatrizes. 

A presença de uma grande cicatriz pode afetar a autoestima e ser um grande incômodo, com o surgimento de dores e coceiras. Com isso, surge também a sua insatisfação, sobretudo quando a cicatriz é grande e em áreas expostas do corpo. Contudo, com o avanço das tecnologias da estética de alto impacto, há expectativas realistas sobre como eliminar cicatrizes antigas.

E é isso que eu trago agora: o como. Prossiga com a leitura do artigo e confira qual é o melhor tratamento para cicatrizes!

Afinal, o que é a cicatrização?

“Mesmo uma ferida com boa cicatrização pode resultar em uma marca de aparência precária. Nisso, a mancha de cicatriz pode se tornar uma vergonha.”

Os diferentes tipos de cicatrizes são nada mais do que marcas de tecido fibroso causadas por um tipo de lesão na pele. Basicamente, se trata de um rearranjo das fibras de colágeno para corrigir a lesão.

Ela pode ser uma cicatriz rosada, branca, roxa, entre outras formas, dependendo do tipo de lesão e estágio de cicatrização.

Como ocorre a cicatrização?

Como processo natural de reparação da pele, ela ocorre sempre que o tecido é rompido, com o tempo de resposta definido pela gravidade da lesão. Nisso, é gerado um novo tecido, com grande porção de colágeno fibroso e de menor elasticidade.

Dessa forma, surge a mancha de cicatriz, inicialmente uma cicatriz rosada e espessa e, depois, uma cicatriz branca residual.

O que causa uma cicatriz?

  • Cortes feitos na pele em cirurgias;
  • Acne severa;
  • Queimaduras;
  • Tatuagens;
  • Feridas decorrentes de traumas;
  • Vacinas.

Quais são os tipos de cicatrizes?

  • Contratura, que acontece após uma queimadura, apertando a pele. Com isso, o movimento da área atingida é prejudicado;
  • Quelóide, uma mancha de cicatriz marcada pelo excesso de cicatrização, o que leva a uma grande quantidade de colágeno. Com isso, forma uma lesão alta e escura. Ocorre em pessoas negras, orientais ou com histórico familiar;
  • Hipertrófica, uma mancha levantada, vermelha e semelhante à queloide.

É possível a má cicatrização?

Infelizmente, é possível que a situação seja pior e ocorra a má cicatrização. Ela pode acontecer por:

  • Idade avançada;
  • Má alimentação;
  • Baixa imunidade;
  • Tabagismo;
  • Infecção local.

Com isso, ocorre um problema paralelo ao físico: a baixa autoestima.

Autoestima baixa e vergonha: os problemas da cicatriz

Um problema que pode ocorrer na cicatrização é a sua evolução de maneira desordenada e exagerada. Com isso, surgem marcas indesejadas na pele e, consequentemente, vergonha.

O resultado desse tipo de cicatrização é a cicatriz hipertrófica e quelóide. A última é a mais séria, uma cicatriz tumoral que coça e dói e que é bastante rara entre a população geral. Por isso, acaba se criando um sentimento de isolamento.

Quem tem queloide fica constrangida, sente vergonha e busca esconder a cicatriz. Além disso, há o incômodo desagradável.

Contudo, existe uma resposta: o tratamento para cicatrizes!

Tratamento para cicatrizes: o que é possível fazer?

Afinal, como eliminar as cicatrizes antigas e se sentir bem de novo? Através de técnicas de tratamento para cicatrizes. Atualmente, há uma infinidade de produtos disponíveis no mercado que prometem minimizar a cicatriz hipertrófica ou quelóide.

Dentre eles, há um tratamento específico que atua na causa maior desse tipo de cicatriz: o rearranjo das fibras de colágeno. Para isso, conte com o poder da radiofrequência.

Radiofrequência como resposta para as cicatrizes

Como eliminar cicatrizes antigas com segurança? A melhor resposta é o uso de radiofrequência, um equipamento que permite o realinhamento das fibras de colágeno por meio da temperatura ideal.

O aparelho emite ondas eletromagnéticas de maneira não invasiva, aquecendo a derme e a hipoderme. Com isso, há a contração das fibras de colágeno e, consequentemente, sua produção.

Dessa forma, retorna a maleabilidade do tecido e ocorre a remoção ou suavização da cicatriz.

A radiofrequência não é arriscada

O equipamento é indicado para todos os tipos de pele, sendo confortável e sem causar lesões superficiais, edemas ou cortes. Pode levar uma hora e causa uma sensação de massagem quente no corpo.

A radiofrequência mais indicada para você é o Hybrius

Para o sucesso do procedimento, é importante contar com uma tecnologia segura e eficiente. Por meio da tecnologia Hybrius, você consegue lidar com a cicatriz sem causar outra no lugar.

O Hybrius é capaz de:

  • Realinhar o colágeno;
  • Melhorar a maleabilidade do tecido, trazendo novamente sua elasticidade;
  • Reconstruir o tecido, finalmente lhe permitindo eliminar ou amenizar a cicatriz;
  • Aumentar o metabolismo local por meio da melhora na circulação sanguínea.

Com isso, é possível tratar o aspecto cicatricial, diminuindo o relevo da pele e alterando a coloração. Esse é o resultado de contar com uma tecnologia que combina ultracavitação, radiofrequência e lipoled!

Conclusão

Uma cicatriz rosada no começo e uma cicatriz branca ao final. Esse é o processo natural de cicatrização, algo normal do organismo e pelo qual todos podem passar um dia. Contudo, quando se torna algo mais visível, é natural que afete a autoestima.

Por isso, é importante que saiba que há tratamento para cicatrizes e que não precisa viver com elas. Através da radiofrequência segura do Hybrius, você pode dar adeus a esse problema que tanto está te incomodando.

LEIA MAIS

conheça as vantagens de contar com um aparelho de ultracavitação

O Que é e Para

O aparelho de ultracavitação é um ultrassom de baixa frequência...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba todas as novidades
da Adoxy no seu e-mail