Potência Não é Nada Sem Controle

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

Você sabe como controlar a temperatura na criolipólise? E o quanto é importante fazer esse controle durante o procedimento.

Neste post vamos falar da plataforma Asgard e seu mecanismo, o CET – Controle Efetivo de Temperatura.

Os manípulos de um equipamento de criolipólise funcionam com a tecnologia de células de congelamento. Eles não fazem uso de nenhum tipo de gás freon e ou compressores.

Essas unidades cerâmicas que resfriam precisam ser controladas, isto é, a temperatura que escolhemos no painel da máquina precisa ser mantida. Sabe informar ao seu paciente como a máquina de Criolipólise que você usa é segura e como controla a temperatura?

Neste post vamos falar do software CET, Controle Efetivo de Temperatura, que é o software usado no equipamento Asgard® VC10 e VC9, da Adoxy.

Também conheço o CIF Cooling Intensity Factor, que é o software do Coolsculpting® da Zeltiq®, mas como ele é de uso restrito aos médicos. Não é comum a nós, ele também funciona de uma forma diferente pois o usuário não consegue parametrizar diretamente a temperatura.

Por que é preciso ter um software que controla temperatura?

Essa é uma pergunta que surgiu, pois ouvimos de algumas pessoas frases como.

“Sempre usei a mesma faixa de temperatura ou a mesma temperatura em meus tratamentos, mas ainda assim queimei um paciente. Será defeito da máquina?”.

A resposta para isso pode variar, existem diferentes razões para isso ocorrer. 99% dos casos não é defeito da máquina, até porque não queimou todos os pacientes. Uma das razões é desconhecer as maneiras como as máquinas controlam a temperatura das células de congelamento.

Pessoal, se imaginem dirigindo um carro muito potente, muito aerodinâmico mas que não tem freios eficientes ou que a direção não seja precisa. Ninguém vai querer acelerar esse carro porque ele não tem controle. Esse carro, apesar de potente, é inseguro.

É por isso que um supercarro é caríssimo. Porque além de veloz, ele é projetado a ter um conjunto harmônico, que faça com que o carro tenha uma performance tanto para ganhar velocidade quanto para frear.

No caso de um equipamento de criolipólise nós queremos que os manípulos mantenham a temperatura que nós parametrizamos. Entregue de fato o que foi programado na máquina.

Um dos problemas de controlar a temperatura de uma célula de congelamento é que ela não tem uma graduação. A célula de congelamento geralmente funcionam com tensão de 12VDC (doze volts em corrente contínua). Se aplicarmos uma tensão menor não significa que ela vai ‘’gelar’’ menos. Em suma, a célula funciona ligada ou desligada.

Então é assim, quanto mais frio queremos mais tempo a célula ficará ligada. Se quisermos aumentar a temperatura ela vai desligar a célula até chegar na temperatura escolhida e irá fazer ciclos entre ligada e desligada.

É preciso de um software que faça esse gerenciamento da temperatura, pra saber que hora é ideal ligar ou de desligar a máquina. Levando em consideração alguns fatores que interferem na temperatura do manípulo.

Para que o CET do Asgard® faça a leitura da temperatura das células de congelamento ele faz uso de sensores do tipo NTC (Negative Temperature Coeficient), é uma peça eletrônica que altera o valor da sua resistência interna conforme muda a temperatura.

Essa informação é mandada ao software, mas não é somente a informação levada pelo sensor que determinará o controle da temperatura do equipamento. Há outras variáveis que podem influenciar na temperatura.

Olhem a foto acima, ela é o display do Asgard VC10 em funcionamento, note que existe uma temperatura escolhida pelo usuário (-15°C) em todos os manípulos H1, H2, H3 e H4, mas o número que está nos visores amarelo mostram H1= -13°C, H2= -11°C, H3= -15°C e H4= -14°C, por quê?

O CET do Asgard leva em consideração alguns fatores para controlar a temperatura da máquina:

Manípulo blindado ou metálico

A Adoxy Medical também disponibiliza manípulos com placa de congelamento sem a cobertura Skin Protect – que nós já vimos – mas que são vendidos sob circunstâncias especiais. Quando o CET entende que foi conectado um manípulo sem SKIN PROTECT ele vai diminuir a temperatura mais lentamente por segurança. Quando é conectado um manípulo com SKIN PROTECT ele baixa a temperatura de forma mais rápida.

A temperatura escolhida pelo usuário.

A temperatura colhida pelo sensor das células de congelamento.

Temperatura e tempo de tratamento anterior a mudança de parâmetros durante o procedimento, isto é, se o tecido já está a p. ex, 30 minutos tratando a -8°C, e o profissional muda a temperatura durante o tratamento para -15°C. O software vai diminuir esta temperatura muito lentamente pois entende que o tecido já está resfriado a um certo tempo e por isso é necessário diminuir a temperatura num tempo maior, garantindo mais segurança e risco de intercorrência diminuída.

A diferença de temperatura entre o paciente e a placa de congelamento: lembram que eu disse que na verdade é o tecido do paciente que cede (perde) calor para placa de congelamento? Pois então, essa passagem não é uniforme, e o tecido vai trocar calor com o manípulo, então o CET lê essa variação e oscila a temperatura das células.

A temperatura ambiente

Este é fácil. Se a sala não tem ar condicionado e estamos no verão, o ar ambiente aquecido vai ceder calor ao manípulo, então o CET tem que diminuir ainda mais a temperatura parametrizada pelo usuário para compensar esse ganho de caloria pelo ar ambiente.

O mesmo ocorre ao contrário.

No exemplo da primeira foto, ela foi tirada numa sala com temperatura controlada com ar condicionado que estava em 17°C (estava presente neste dia, hehe) então ‘’facilitou’’ para as células de congelamento que não tinham ar aquecido para trocar com o manípulo, então o CET oscilou a temperatura para mais alta.

A margem de imprecisão dos sensores de temperatura: é isso mesmo, os sensores não são fabricados pela Adoxy, eles são fornecidos por um fabricante de sensores e eles tem uma margem de imprecisão tolerável (definidas por regras internacionais para fabricação componentes eletrônicos), que é de 0,5°C por sensor.

Então é mais uma variável que entra na equação que o CET tem que resolver.

Nossa! São muitas variáveis, parece bastante complexo. Na verdade, é mesmo, mas é possível traduzir para você, porque nos interessa é entender o princípio, não é?
Vou usar um exemplo de controle de temperatura comum a todos nós, que são os freezers de cerveja. Pois bem, o mestre cervejeiro determina qual é a temperatura ideal do consumo da cerveja produzida por ele, portanto o freezer deve manter o líquido nesta temperatura para garantir a qualidade do seu produto. Vamos supor que o consumo ideal desta cerveja seja de 2°C, mas se você reparar no termômetro do freezer ele não ficará estático em 2°C.

Se o freezer acabar de ser carregado de garrafas a temperatura ambiente, o freezer terá que abaixar a temperatura abaixo de 2°C, muito mais, para compensar o calor que as garrafas vão ceder a parede interna do freezer. O mesmo vale para quando o produto já esteja na temperatura ideal, então o mostrador irá mostrar uma temperatura acima de 2°C, e assim ele vai oscilando conforme muda o ambiente.

O mesmo vale para quando o produto já esteja na temperatura ideal, então o mostrador irá mostrar uma temperatura acima de 2°C, e assim ele vai oscilando conforme muda o ambiente.

Por isso o Asgard está constantemente mudando a temperatura nos visores amarelos, porque o CET está atuando, calculando todas as variáveis que mudam constantemente durante o tratamento, e recalculando a temperatura para as células de congelamento.

Mas depois de tudo isso a pergunta ainda não foi respondida, por quê?

A resposta é simples: SEGURANÇA.

Se uma máquina de criolipólise não tiver software de controle de temperatura ela entregará sempre o mesmo ciclo (ligado e desligado) as células de congelamento. Mantendo a temperatura sempre igual NA CÉLULA.

Mas e o tecido? Uma vez que o tecido, ou melhor a pele, que é a área de contato com a placa de congelamento já estiver na temperatura da célula, submetê-la sem controle sempre a mesma temperatura irá fazer com que, no final de um período completo de tratamento, a temperatura seja menor que a mostrada no visor da máquina.

Não vamos esquecer que a pele não é alimentada por 12VDC, ela não liga e desliga, e ela tem uma velocidade de ganho ou perda de temperatura diferente de uma célula de congelamento.

Resumindo: potência não é nada sem controle! Portanto, a plataforma Asgard tem um fantástico software de controle de temperatura que garante resultados e proporciona SEGURANÇA aos pacientes.

Para mais conteúdos como esse acesse o nosso blog.

LEIA MAIS

conheça as vantagens de contar com um aparelho de ultracavitação

O Que é e Para

O aparelho de ultracavitação é um ultrassom de baixa frequência...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba todas as novidades
da Adoxy no seu e-mail